.....................................................................Escritor clandestino é quem navega neste mar literário
...................................................................................sem se preocupar com o itinerário.

.......................................................................................A.J. Cardiais

Amores dos Corpos - A.J. Cardiais




Encontro bailando
perdida a esmo,
no inferno de medos
tão singela donzela
cheia de emoções...

Me entrego de amor
de corpo a corpo
e no baile, bailo,
ao som da luz do dia...
E o sol, amigo das jornadas,
vê nossos corpos
cora-os e cora-se
com tanta paixão desenfreada...

É amor, união?
Amor saliva
sons, céus
e espaços dentro de nós?
Não, nada, não sei...
deixe-me viver
enquanto possuo a sede
de todos os dons.

A.J. Cardiais
imagem: google
Poema do livro Um Quase Nada

.