.....................................................................Escritor clandestino é quem navega neste mar literário
...................................................................................sem se preocupar com o itinerário.

.......................................................................................A.J. Cardiais

Açúcar Derramado


Em se falando de amor, sou mudo...
Talvez até tão invulgar,
quanto açúcar derramado na calçada.
Eu não sou nada,
mas quero fingir-me de culto.

Talvez eu tenha a palavra errada
para o momento certo.
Talvez eu seja um deserto,
em se falando de amor.

Só não quero a dor em minha rima.
Prefiro até a morte...
Quem sabe, por sorte,
ela seja o princípio
do princípio, do princípio???

E como o princípio é o amor,
talvez eu encontre
a real razão de tudo isto:
VIVER.

A.J. Cardiais
07.01.1990