.....................................................................Escritor clandestino é quem navega neste mar literário
...................................................................................sem se preocupar com o itinerário.

.......................................................................................A.J. Cardiais

Autonomia - A.J. Cardiais















Aqui está meu poema.
Que pena...
Cheio de rimas pobres,
mas nobres.

Porém,
não deve nada a ninguém.
Também não tem
o nome no SPC.

Aqui está meu poema:
limpo,”cê” pode ver:

Nada pra você ler,
nada para ensinar,
nada para aprender...
Tudo, para criticar...

A.J. Cardiais
08.04.2009
imagem: google