.....................................................................Escritor clandestino é quem navega neste mar literário
...................................................................................sem se preocupar com o itinerário.

.......................................................................................A.J. Cardiais

Fugitivo - A.J.Cardiais















Abandono um poema,
entro em outro esquema,
escorrego numa rima
e não resolvo o problema...

Tudo que vem “de cima”,
dizem que é sagrado,
e se correr é pecado.
Então sou um pecador.

Eu corro um bocado.
Fujo da vida atribulada.
Fujo de tudo e de nada.

Fujo até de mim,
quando estou assim, assim...
Com a alma amargurada.

A.J. Cardiais
03.05.2014
imagem: google